04 junho 2009

Homo Irresponsabilis

Ultimamente, tenho observado uma situação que não augura nada de bom. Apesar de toda a informação amplamente difundida por todos os meios de comunicação, desde há pelo menos umas 3 ou 4 décadas, poucos parecem ter apreendido alguma coisa da mensagem.

Causa-me alguma perplexidade verificar a total ou quase total indiferença com que a maioria dos nossos compatriotas reagem a notícias relacionadas com os problemas ambientais. E o que mais me assusta é que verifico que, mesmo as pessoas mais qualificadas, de quem se esperaria uma sensibilidade mais apurada, não se distinguem das restantes. Ricos ou pobres, altamente qualificados ou analfabetos, todos parecem comportar-se da mesma forma. Uns por negligência, outros por ignorância. Apenas uma (insuficiente) minoria da população, parece ter adoptado algumas medidas básicas, com vista a diminuir a sua pegada ecológica.

Face à gravidade dos problemas ambientais, parece-me elementar que cada cidadão procure dar o seu contributo para a melhoria da situação. Sei que muita gente acha que, como o resultado da sua acção individual é quase imperceptível, não vale a pena fazer nada. E como “bons” portugueses, ficam à espera que o Estado ou os governos resolvam os problemas. Não se apercebem de que o seu comportamento comodista e irresponsável deixará, aos seus descendentes, um legado pouco digno de admiração.

Desafio o leitor a fazer um pequeno exercício: Inventariar as principais medidas que adoptou para contribuir para a resolução dos problemas ambientais. (Exemplos: Entrega de materiais nos ecopontos, troca de lâmpadas incandescentes por economizadoras, etc.)

2 comentários:

Ana Teresa disse...

Achei que aqui ficava bem, pode ser que alguém leia:

(Um exemplo de grande pegada ecológica:
Para se criar/consumir 1Kg de carne de vaca, gasta-se 37kg de comida + 16 000 litros de água e lança-se para a atmosfera, 24 kg de CO2 (dióxido de carbono), sem falar no CH4 (gaz metano), que produz impactos no ambiente, muito superiores aos do CO2.
A pecuária gera 37% de gaz metano, 18% de dióxido de carbono, emitidos pelas actividades humanas e é a actividade que mais consome recursos do planeta, ocupando 80% da superfície agrícola total.

Lembremo-nos que a pegada ecológica a que cada um tem direito para ser sustentável é de 2,0 hectares, com tudo incluído! Quem consome carne, variadas vezes por semana, extrapola esse número, só no acto de comer carne. Quer diminuir a sua pegada? Consuma carne o menos possível e compre só o que é indispensável e de preferência, local ou nacional.

incitador@gmail.com disse...

Ana Teresa,
Achou muito bem. Gosto de ver os meus textos acompanhados de comentários que enriquecem a mensagem. É o caso deste.
Obrigado.

O Curso do Crash

O Dr. Chris Martenson enuncia as suas três crenças: que a nossa sociedade irá sofrer mudanças radicais em breve; que essas mudanças poderão limitar a nossa capacidade de resposta; e que dispomos da tecnologia ou conhecimento necessários para construir um futuro melhor. Os próximos 20 anos serão muito diferentes dos últimos 20.



PS: Agora que alguém se deu ao (excelente!) trabalho de o traduzir, tornou-se ainda mais imprescindível.